quinta-feira, 1 de julho de 2010

Poema Anônimo


Não acredita no amor...
 Não acredita em nada que dele vem.
Nem no sorriso, nem na lágrima.
Nem na rosa e nem no espinho.
 Hoje amarga em monocromático preto em branco.
Hoje indignação.
Hoje pergunta.
Do céu azul só vê a nuvem.
Na igreja não vê a cruz só sente o peso.
Da lágrima só o sal.
Do sabor o amargo.
No espelho a sombra.
Lembrança a dor.
Destas palavras nada leva.


17 comentários:

Yoyo disse...

Passei e fiquei pois adorei esse também.
Tenho mais dois blog: um de viagens e outro de fotografia.Se quiser conhecê-los,será uma honra.
www.photografiaecompanhia.com.br
www.aerrantecaminhante.com
Bjos

Wanderley Elian Lima disse...

Coitado, passou pela vida e não viveu.
Beijos

G I L B E R T O disse...

POesia maravilhosa!

Gostei muito do teu estilo, tua poesia tem sensibilidade!

Voltarei mais vezes!

GRato por este momento lirico tão rico!

Gilberto (nel mezzo del cammim)

G I L B E R T O disse...

POesia maravilhosa!

Gostei muito do teu estilo, tua poesia tem sensibilidade!

Voltarei mais vezes!

GRato por este momento lirico tão rico!

Gilberto (nel mezzo del cammim)

Sonhadora disse...

Minha querida
Um lindo poema...adorei.

Beijinhos
Sonhadora

legalmente loira... disse...

oi amiga,
sempre com muita alegria te recebo faz muita falta.
a imagem é belissima.
e o poema anônimo
a gente leva muitas coisas.
bjos com uma linda noite.

Wanderley Elian Lima disse...

Seu comentário chegou sim. Obrigado pela visita.
Bjs

SolBarreto disse...

Lindo poema!
Adorei a imagem do blog!

REGGINA MOON disse...

Minha querida,

Mesmo que nada nos leve a crer no amor, sabemos que esse sentimento é o mais sincero e lindo, pois nada pede,apenas existe...todos os dias são únicos,e podem ser sempre melhores, depende de nós!A mensagem de amor tem de ser repassada...sempre!

Um beijo!!!Tenha um lindo final de semana!!

Reggina Moon

Filomena disse...

Renata,

Triste mas bonito


Um beijinho

manuela baptista disse...

se eu não acreditar no amor
quem acreditará em mim

o que seria da lágrima
sem o riso

do amargo
sem o mel

do céu
sem o azul do mar

"se não sabe
porque é que pergunta?"-João dos Santos

um beijo

Manuela

Regina Rozenbaum disse...

Renatinha, amada!
Não adianta ninguém escrever que é tudo na vida pura cor. Em tudo e com todos vivemos momentos de dor, preto e branco messssmo! Tristeza, melancolia, também fazem parte dessa arte de "saber" viver.
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Ás vezes...me sinto assim como o teu poema...Tambem isto há-de passar!!
beijo amigo e bom fds
Graça

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Para ti também, minha querida! És Musa*******



Eu queria tanto, tanto, e voei tanto!...
Uma cigana viu no seu cristal...
Ela não teve a idéia do quanto
Sua luz acalmou este vendaval!...

Há felicidade por enquanto;
Vivemos num espaço desigual!
Sei que sofrerei, mas, no entanto,
Achei minha amada; - Ela é Imortal!...

O tempo e o espaço fogem à vontade;
Choro; - Há uma agonia nesta saudade!
- Oh! Lábios de mel: - Como te amo!...

Supero o juízo, fujo à razão;
Levito!... Sinto só o coração!
- Ó meu Céu!... Ó meu Mar!... Como te amo!...
Musa
Machado de Carlos*

Beijos de Renata pra Renata
Eu te amo*

legalmente loira... disse...

querida renata,
eu também adorei te conhecer.
e muito especial...
sempre é preciso acretidar no amor.
lindo fim de semana.
bjos.

REGGINA MOON disse...

Renata,

Grata por sua visita, espero que tenha um ótimo Domingo e fico no aguardo de sua nova postagem...

Um grande beijo,

Reggina Moon

Chris disse...

Por vezes as palavras são a vida a acontecer... nesse eterno recomeçar...
Um beijo
Chris