quinta-feira, 4 de março de 2010

Além da Saudade e da Perda.

Em uma madrugada de verão partiu a mulher de cabelos negros como a noite, caiu em sono profundo, os ruídos se esvaíram pelo aposento branco rigorosamente limpo. Inerte ficou apenas a matéria, uma alma leve foi para o lugar merecido.

Que lugar seria criado por ela? – talvez um imenso jardim, ou uma praia de areia branca com gaivotas, ou o campo com grandes montanhas encobertas por nuvens brancas parecidas com grandes tufos de algodão. Será que a felicidade e plenitude de todos outros tantos sentimentos seria achada?

Um vazio habitava esta alma que jovem partiu, um “que de algo ou alguém”, uma lágrima, um sorriso, uma espera, uma saudade, uma esperança. Onde e o que lhe faltava neste paraíso que foi dado para poucos, por que aqueles rostos nada traziam de significativo? – sentou aos pés de uma enorme árvore carregada de flores amarelas e olhando as que estavam no chão caídas se apercebeu que havia morrido, deixado seu amor sem ao menos dizer-lhe adeus, não dera tempo, tudo foi inesperado e solitário. Alguém se aproximou e lhe ofereceu ajuda, nos olhos lágrimas e cheiro bom de canela exalavam da mulher que lhe sorria despretensiosamente, uma mistura de amor e compaixão, sabedoria e curiosidade transparecia em seus olhos. A mulher de cabelos negros apenas sorriu com os olhos cheio de tristeza e disse: Morri, parti sem me despedir, deixei meu amor a me esperar e agora sou apenas uma metade de algo que desconheço o que sou sozinha e vazia?

A mulher que lhe parecia desconhecida respondeu que sua outra metade era sua alma gêmea, lhe restava esperar, contudo sem tristeza em seu coração, mas com esperança e calma, pois, almas gêmeas não se separam nunca, estão ligadas por toda eternidade, mistérios que nem ela após sua morte conseguiu decifrar apenas aceitar que nem tudo é lógico ou racional, ou tem que ser visto para se saber que existe. Então cuidadosamente contou uma história e para espanto da mulher de cabelos negros ela era a personagem da história, a criança que estava sendo narrada de forma detalhada e amorosa, sua resposta veio a seguir todo o tempo conversará com sua mãe. E compreendeu que realmente nada ali teria uma explicação e sim aceitação de que o amor existe além da vida e este é puro e verdadeiro.

Passaram-se alguns poucos meses e seu amado chegou, chorando no em seu colo, disse a mulher de cabelos negros que não agüentou viver sem ela, que a vida perderá o sentido com sua partida e enorme vazio tomou conta de seu coração. Então a mulher perguntou como ele havia lhe achado neste vasto universo. Ao que ele respondeu com um grande sorriso uma senhora com olhos cheios de lágrimas e cheiro de canela me trouxe para junto de ti, disse que este era teu lugar preferido embaixo desta frondosa árvore de flores amarelas e pediu que cuidasse bem de você, me beijou a face e desapareceu.

Chorando a mulher de cabelos negros percebeu que além da saudade o amor onde quer que esteja é mais forte que qualquer ausência, dor ou sofrimento, quem ama mesmo longe nunca se esquecerá de quem ficou ou partiu. A vida é feita de chegadas e partidas cada uma com sua história, cada uma com sua estação nesta estrada cheia de trilhos que chegam aos mais distantes lugares.



13 comentários:

ONG ALERTA disse...

Muito verdadeiro, sobrevivemos não sei como...ou melhor por amor, este amor infinito que esta dentro do coração da gente e que muito não sabem usufruir...paz.
Muito lindo...apenas uma mãe chamada Lisette.

Ricardo Calmon disse...

Crônica "Além da Saudade e da Perda" enfoca a memória de que se foi,de ampla e sutil maneira,registras verdades que não se percebe tão facilmente,pois recheado de bons ou momentos maus,permanece registrado em cardíacos nossos,quem se foi,mesmo não lembrar querendo,coisas da trilogia da vida:Mente,Coração e o Sentir!

Tu és escriba e amo isso!
Escritos esse,leve como pluma é!

bzu nas mãos!

viva la vida!

Wanderley Elian Lima disse...

O problema e que não estamos preparados para as partidas, quem ama mesmo ,a saudade servindo de ligação com a pessoas amada, gosta de estar perto.
Beijos

manuela baptista disse...

a cada partida

esperaremos uma chegada
confiantes na eternidade do amor

no cheiro bom da canela
reconheceremos sempre o caminho de volta para casa!

Obrigada pela história!

Beijinhos, Renata!

Manuela

SolBarreto disse...

Texto forte, profundo e tocante...adorei seu cantinho, e me senti a vontade pra voltar rsrs

Ricardo Calmon disse...

Renata caríssima ,continue a escrever,lava a alma,a mente nutre,e o coração acompanhando sina essa ,de cada um de nós!

Te abraço,viva La Vida!

bzix

Pelos caminhos da vida. disse...

M de Mulher!

Seus Malabarismos Mágicos Manipulam Marionetes.
Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
Madalenas ou Marias.

Marinas ou Madonas.
Elas são Manhãs e Madrugadas.
Mártires e Massacradas.
Mas sempre Maravilhosas, essas Moças Melindrosas.
Mergulham em Mares e Madrepérolas, em Margaridas e Miosótis.
E são Marinheiras e Magníficas.
Mimam Mascotes.
Multiplicam Memórias e Milhares de Momentos.
Marcam suas Mudanças.
Momentâneas ou Milenares, Mudas ou Murmurantes,
Multicoloridas ou Monocromáticas, Megalomaníacas ou Modestas,
Musculosas, Maliciosas, Maquiadoras, Maquinistas,
Manicures, Maiores, Menores, Madrastas,
Madrinhas, Manhosas, Maduras, Molecas,
Melodiosas, Modernas, Magrinhas.
São Músicas, Misturas, Mármore e Minério.
Merecem Mundos e não Migalhas.
Merecem Medalhas.
São Monumentos em Movimento, esses Milhões de Mulheres Maiúsculas.

(texto tirado da nte).

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER.

beijooo.

Ricardo Calmon disse...

Minha amiga Renata queridíssima,é uma infinita alegria,juntos estarmos ,na arte de poetar,escriba ser e a vida tributar e referendar,com ternura e respeito,amo tudo isso,maneira minha de viver e solidário ser,um conselho,publique aussi em posts seus ,vídeos acompanhando,e conte comigo sempre,te atender é uma Graça,para mim!
Obrigado pelos conceitos comentados a meus respeito!Conte comigo sempre!

Bzu mãos suas!

Viva La Vida!

REGGINA MOON disse...

Minha querida,

Sim, somos todos viajantes pela vida, perdemos e encontramos grandes companhias, amores e a hora da partida acontece para cada um, em seu momento...mas as saudades se transformarão em reencontro, quando chegarmos em nosso destino final.

Grande beijo e bom final de semana!

Reggina Moon

manuela baptista disse...

Recado da Filomena

"E eu não consigo comentar o seu Renata, mas sempre lá vou. Beijinhos e muitos.
Seu blog está sempre lindo. arranja uns layouts magníficos

Filomena"

Renatita

Bom fim de semana!

Manuela

Sonia Schmorantz disse...

Há sempre alguém chegando e alguém partindo, mas a saudade é a única certeza...
beijos, ótimo fim de semana

Graça Pereira disse...

Renatinha
O teu texto é lindissimo e me tocou particularmente...parecia escrito para mim...talvez amanhã entendas lá no meu espaço.O amor verdadeiro não morre, está sempre na vida dos dois e, quando há uma separação, é temporária...é só questão de tempo para se encomtrarem de novo.
Um beijo grande
Graça

REGGINA MOON disse...

Minha querida,

Passando para te desejar um FELIZ DIA DAS MULHERES!!PARABÉNS!!

Um beijo e tenha uma linda semana!!

Reggina Moon