sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Borboleta. Não as furte!







Então?
Quem foi que roubou a personalidade que estava na mesa e ia colocar agora em minha bolsa e dar para aquela pobre criatura que tem falta dela.
Como pode alguém roubar a personalidade que não lhe pertence?
Sou borboleta sempre fez parte de mim, seja mariposa, abelha, maribondo...
Então?
O que levará a seguir sem minha permissão, minhas idéias, meu sorriso?
Ora, ora, seria bom parar por aqui, ser criativo é possível para todos.
Ou será para quase todos?
Não use lágrimas ou faça cara de sou inocente, é péssima atriz, vamos acorde, busque teus dons internamente.
Não te faças de pobre alma, sei... Agora é ou se sente invejada?
Pobre criatura vampiresca cria então algo dramático e te veste da fantasia que te cabe, um morcego...
O que?
Agressiva, claro, não fui eu que te roubei, fui a lesada!
Tu és desservida, emporcalha a vida dos outros com teus aleives, quer viver a vida de quem?
Olha o espelho e a imagem refletida nele, esta é você, como?
Não ouvi, repete... A máscara?
Faça o favor, tu que colocaste se não quer sair é porque te serviu, não quer que os outros te vejam assim...
Bem feito, contudo, será que o que tem por debaixo é ainda pior?
Não me faça rir, disseste o que? – INGÊNUA?
Sabe. Não te odeio, tenho pena, jamais poderá ser borboleta, jamais...
Quer ficar com teu apanho? – Nem quero mais que me devolva, era para ser assim, não é a mim que trapaceia mas, a ti mesma.
Quer minha personalidade nunca terá mesmo que se transfigure, ainda não será tua...
Teu nome deveria ser sombra, teus olhos nada têm além de oportunismo e desfaçatez.
Teu sorriso um embuste, tuas palavras copiadas são serpentes e a falta delas é castigo.
Eu sempre serei borboleta, as cores em minhas asas irão desvanecer, pedaços serão perdidos e quando me for ainda assim... Minha essência será de uma borboleta.
Por quem passei e alegrei, pelos caminhos que colori, pelas fugas que vivi...
Foi esta vida que tive para Viver, versar minhas histórias e não furtá-las de ninguém.
Quanto a ti embusteira, desejo sorte e que um dia saia da estrada da trapaça e viva a vida que lhe cabe...





6 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Cada ser é ímpar, não adianta tentar ser o que alguém é, nunca iremos conseguir. Temos nossas qualidades e defeitos, mas são nossos, e temos que aprender a conviver com eles.
Bjux

manuela baptista disse...



borboleta eterna

colorida
frágil
desmedida

pode alguém ser quem não é?

um beijo

e bonita a hora do teu regresso!

Manu

Ricardo Calmon disse...

É por aí,minina etóile Renata,atitude siempre,me mande via gmail, como acessar essa perua,huhuuuuuuuuuuuuu Peri vai adorar!

smackkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

REGGINA MOON disse...

Renata,

Lindo texto...!!Parabéns!!

Eu sempre serei borboleta, as cores em minhas asas irão desvanecer, pedaços serão perdidos e quando me for ainda assim... Minha essência será de uma borboleta.

Um grande beijo e boa semana!!

Reggina Moon

Graça Pereira disse...

Sou como tu...uma borboleta que veio de longe...trouxe muitos sonhos nas suas asas que talvez as tenham enfraquecido...Uma borboleta que correu mares e ares...trouxe histórias...viveu histórias...e já não esvoaça tanto mas ainda sonha...porque até ao fim...será uma borboleta que veio de longe...
Mil beijos
Graça

Aqui ainda está muito calor...podemos tomar um sumo bem geladinho...que me dizes?

manuela baptista disse...

adoro estas fitas Renata!

vamos enfeitar um vestido?

beijinhos

manu