sábado, 7 de agosto de 2010

Aos amigos de ontem!

fonte internet caso seja o autor da fotografia basta pedir e retirarei.

E os laços eram coloridos, de fitas finas ou largas a bailar no vento, imagem da leveza em balé sincronizado e pintado tal qual um arco-íris. Perfumes de flores espalhados pelo ar frio da montanha, um vai e vem de sorrisos e olhares... Tudo em domingos dia da praça, do cinema, do skate, da sorveteria Mimi, do cine São Luís e Irmão Sol e Irmã Lua, motos indo e vindo, o vôo livre do hoje senhor Paulo. Amigos da adolescência que foram indo para longe e descobertos aos poucos, alguns no meio do Pantanal a tocar a boiada e outros como bons mineiros na Big Apple...
E os laços coloridos foram voando pelo mundo crescendo e desconhecendo uns aos outros, reencontros esparsos ainda acontecem vez ou outra... Alguns saíram voando junto a sua fita e não mais iram retornar, deixando uma saudade e uma lembrança. As memórias borradas causam riso ou lágrima e lá vêm à senhora com olhos de mãe de todos, com seu sorriso que faz qualquer um voltar à infância, único e brilhante cabelos enfeitados de fitas brancas e avental bordado acena e espalha alegria.
Desta vida o que se leva é a lembrança daqueles que de fitas se tornaram laços...




8 comentários:

CESAR CRUZ disse...

Renata, belo texto poético, parabéns pelo bonito blogue. Obrigado pelo prestígio ao meu livro.

1 bja a vc
Cesar Cruz

Sonhadora disse...

Minha querida
Um texto muito belo, adorei.

Desta vida o que se leva é a lembrança daqueles que de fitas se tornaram laços...

Mesmo verdade.

beijinhos
Sonhadora

Wanderley Elian Lima disse...

A vida, o tempo e a distância, encarregam-se da separação, mas a saudade é a ponte que nos leva para perto de quem está longe.
Beijos

Regina Rozenbaum disse...

Renatinha, amada!
Voltou poderooooosa dimaiiisss!!! Adorei.
Beijuuss n.c.

www.toforatodentro.blogspot.com

manuela baptista disse...

Renata

com que fitas e laços
enfeitaste a noite escura

que o brilho das estrelas
se apagou

pois mais brilham os olhos dos amigos
que não se esquecem nunca

mesmo dispersos
tocando a boiada no pantanal

ou aqui em Portugal!

um beijo

Manuela

Graça Pereira disse...

Renatinha
Um texto onde a tua sensibilidade e coração se estende...Maravilhoso! As fitas que nos prendem e rodopiam como se fossem um arco-íris...por vezes, contam histórias...daqueles que se querem bem. E no seu bailado...elas olham o invisível e sabem que se vão cruzar e formar vários laços...como se fossem pássaros...voando por cima do Atlântico...e os dias do futuro serão dourados quentes e vivos... e os laçços apertar-se-ão ainda mais...ricos apenas do muito que foram os seus caminhos.
Uma noite tranquila, minha querida.
Beijo
Graça

Filomena disse...

Renata,

Lindo texto poético brindando os amigos de outros tempos. Amizades que jamais deixam o cantinho especial que todos temos no coração


Beijo

legalmente loira... disse...

queridas amigas e amigos......
hoje não poderei ler nada estou debilitada

Obrigado pelo carinho,
fico feliz quando passa
por aqui...

um bom dia
abços e bjos.
renata, eu ja estive aqui e não vejo meu comentario...