quarta-feira, 14 de abril de 2010

Uma Visão.

Tela de Kátia Almeida.


Em algum lugar que não esta em destaque no mapa e mesmo que estivesse quem iria se preocupar em saber do nome de todas as pessoas que ali residem. Inúmeros rostos e passos deixados nas ruas lamacentas nos dias de chuva ou fazendo poeira nos dias de sol forte. Em cada janela uma sombra um vulto nas noites escuras com gatos boêmios a cantar nos muros. Cada veneziana e um segredo, cada cortina uma sedução e em cada janela suada um choro. Nas ruas entre uma e outra esquina passava alguém e seus passos ecoavam em um silêncio sepulcral, um cheiro de medo vinha trazido com vento e nele olor de perfume barato. Ao amanhecer tudo ia criando volume e movimento, crianças a caminho da escola, homens e mulheres apressados como se estivessem sempre atrasados, carros parados e o salseiro estabelecido estava, buzinas, motos, fumaça, desordem, caos...
Este lugar morre e renasce todos os dias a cada amanhecer, transborda vida a cidade, a metrópole, e tudo vai depois para os jornais, onde muitas vezes as noticias não são boas, quase nunca. Trancar-se e ignorar o que se chama realidade nem sempre é inteligente, mesmo que sua realidade seja outra, seu lugar é também o de outros.
Entre tantas coisas sempre existe uma praça e nela crianças que chegaram para espalhar sorrisos para quem os quer ver, pássaros a construir ninhos, mães dando a luz, o mar quebrando na areia e alguém caminhando sobre a espuma da praia. Parado no sinal vermelho ergue os olhos e vê uma pipa lá no alto colorida dançando ao bel-prazer do seu dono o vento, na calçada uma mãe de mãos dadas conversa animada com sua pequenina filha que leva na guia um lindo cachorrinho. São estes os verdadeiros nomes de cada um seu estado de espírito e como ele encaminha seu dia, escondido atrás de uma janela ou caminhando despretensiosamente no lugar que mais gosta ir e sem se importar o que irá enfrentar para chegar lá.



14 comentários:

quandoeumechamarsaudade disse...

Bom dia Rê! =)

Ah como gostaria de estar sentada nesta praça... era só o que eu gostaria agora ver os sorrisos das crianças.

Beijo querida.

Estefani

REGGINA MOON disse...

Renata,

Que lindo o seu texto...realmente, dentro de uma cidade louca, existem momentos que mal paramos para analisar...e como é bonito ver na simplicidade de um sorriso, de gestos de carinho, espalhados pelos cantos, que ainda vale a pena continuar...

Te convido a retirar em meu Blog o Sêlo "Esse Blog não me sai da cabeça"...

Tenha um ótimo dia!!Beijos,

Reggina Moon

(Faz greve não...rs)

Anônimo disse...

Rê, que lindo você realmente escreve aquilo que esta presente em nossas vidas.
Fico profundamente feliz com a tua linda e maravilhosa pessoa que eu tanto a amo. Do teu grande Amado Beijoooooooossssss.

quandoeumechamarsaudade disse...

Ah que belo presente!!!
Adorei o selo. ^^
E a consideração. Obrigada.

Beijo querida!

Estefani

manuela baptista disse...

Renata

gostei da pintura de Kátia Almeida

e do seu texto!

Eu gosto de imaginar o que está para lá de uma janela, quem se esconde ou se deixa ver, os seus sonhos e as suas angústias.

Gosto das visões de cada visão.

Levo o selo e vou deixá-lo junto com os meus outros tesouros:

http://tesouros-do-fundo-do-mar.blogspot.com/

beijos

Manuela

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Renata
É o nosso estado de espírito que faz\ o nosso dia ser agradável ou triste. Somos nos que escolhemos os caminhos que queremos seguir.
Beijos

Ricardo Calmon disse...

RENATA QUERIDA,SELO TEU JÁ HABITA,EM CAMPOS MEUS DE GIRASSOIS AMEI E AMEI!

O CASAL VICK E EL FOFO TE ABRAÇAM E NOITE BOA DESEJAM!

VIVA LA VIDA

RenaTinha Lira disse...

Cade você que sumiu?

Pelos caminhos da vida. disse...

Um dos maiores milagres de Deus é permitir que pessoas simples e comuns possam transmitir coisas incomuns, fortes e ricas de sabedoria.

(desconheço autoria).

Fim de semana iluminado pra vc.


beijooo.

Obrigada pela sua visita.

Graça Pereira disse...

Renatinha
Não penses que me esqueci do selo que é tão lindoooo e quero vê-lo no meu espaço. mas...mais uma vez, tenho de confessar publicamente (que vergonha..) ainda não sei fazer essa transferência de selos e espero sempre pela ajuda do meu filhote..que ainda não poude!
Agora todo o mundo vai chamar-me burraaa...estás a ver o que dá ser sincera???
Gostei do quadro e gostei do teu texto. Há muita maneira de olhar...quando se vai á procura do mau...encontra-se só o mau! Quando os olhos vão mais longe...com o coração, encontra-se...até a felicidade!
Bom fim de semana e mil beijocas
Graça

manuela baptista disse...

Beijinhos Renatita!

e um bom domingo para ti

Manuela

Pelos caminhos da vida. disse...

Hoje à partir das 18hrs meu blog:

Pelos Caminhos da Vida,

estará participando da COPA BLOG, venho por meio dessa msg pedir um voto pra vc, a votação vai até o dia 21/04, o site para entrar e votar é esse aqui;

http://dado.pag.zip.net/

Caso vc não consiga acessar o site através dessa mensagem, no final do post meu tem o site e por lá entra direto.

Obrigada.

beijooo.

SolBarreto disse...

Otimo texto!
Ja peguei meu selinho Obrigada

Tais Luso disse...

Oi, Renata, muito bonito teu texto. Muitas vezes a gente pensa que em outras cidades – maravilhosas – a vida é diferente da nossa... É a tal coisa, a grama do vizinho é verdinha, mais bonita. Com tua narrativa, dá pra ver que em todos os lugares a vida é igual, mesmo que a gente imagine ser diferente. A pracinha, a ponte, os casarios, o passeio com o cachorrinho, as flores desabrochando... E a vida é simples pra todos. Vemos a pobreza e convivemos com ela, quase que lado a lado; e vemos, também, muito glamour. Muita futilidade que, aliás, tem em todos os lugares.

Beijão
Tais Luso