terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Asas negras.

Imagem retirada da net. Caso seja de sua vontade e direito basta solicitar para ser retirada. Este blog não tem fins lucrativos.



Pela estrada caminha um homem, curvado apoiado em seu cajado, parece mais velho e também mais cansado, arrasta um enorme saco, os olhos baixos e sisudos, resolve então se sentar para pensar e beber um pouco de água. Ao longe algumas crianças brincam, sorrindo o vento balançando as árvores e tudo ali parece magico e impensável, então o homem pensa: - Parecem protegidas de tudo ou de todo mal, nem desconfiam quem sou, vou passar por estas criaturas de Deus e elas apenas me darão um sorriso sincero e prosseguirão na sua alegria de viver. Criança é sábia quando as levo para o outro lado, chegam dormindo, ao acordar se assustam e basta uma boa explicação e logo tudo é compreendido sem contestações, voltam a sorrir e correm para conhecer seus companheiros, o mundo que imaginam se funde aos outros harmoniosamente, são campos abertos cobertos de grama verde, animais soltos e espalhados, um rio corta o vale e nele peixes coloridos pulam sobre a água e o som que se ouve gargalhadas. Bicicletas, bolas, bonecas, jogos de tabuleiro, redes onde embalam seus sonhos.
Tudo aprendem rápido, não se lamentam, não pedem coisas impossíveis, esperam com calma pela hora de voltar, talvez na partida apareça um pouco de medo, tristeza, recomeçar não é fácil...
Contudo chegam aqui inocentes, felizes e o tempo e suas escolhas provocaram muita felicidade ou infinitas tristezas, o que faz toda diferença pois chegam crescidos, adultos e não sorriem em sua maioria, choram, se culpam, desesperam, alguns não tem um vale, nem rio, encontram devassidão que trás na alma, e eu fico ali a observá-los e rezar para que encontrem outro caminho e antes da inevitável volta venham menos pesados em suas culpas e maldades.
E assim um tanto emocionado resolvi continuar a caminhar, meu fardo até ficou um pouco mais leve, contudo, tinha que seguir caminhando infinitamente, por alguns lugares cruzei com outros iguais a mim, as asas negras escondidas, olhar triste e fardo pesado. Quem somos?
“Anjos caídos na terra por sermos insatisfeitos com a ordem natural das coisas.”

3 comentários:

Ricardo Calmon disse...

POST ESSE TUO,ME LEMBRAR FAZ O PRIMEIRO QEU TEU LI, E DISSE A VC QUE DE MÃO CHEIA ,ROEIRISTA ÉS!
ALÉM DISSO,MININA RENATA,MÁGICA ÉS,POR ACALANTO INDIRETO ESSE,DE LETRAS TUAS ATRAVÉS,SOU UM DESSES NEÓFITOS ANJOS CAÍDOS,DE MAL COM "ELE""!

QUEM SOMOS???????????????????????
se doje em diante ,status esse manteres,perceba o evoluir de alma tua e de segunda pele sua!além de escriba alma tua lavada será,com letras e girassois!

viva la vie

bzu minina afilhota de vida minha

your rica

Wanderley Elian Lima disse...

Sempre terá o dia do retorno, pois o espírito não morre jamais.
Bjux

manuela baptista disse...

insatisfeitos somos

e tantas vezes queimamos a asas
ofuscados com a fogo e a luz

pela desordem natural das coisas

somos apenas humanos...

um beijo Renata!

manu