segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Palavrear?



O silêncio das palavras, sumiço, indiferença, na falta delas o anseio, o desejo, a lágrima, pensamento preso...
A fala que solta todas as palavras retidas, liberdade, coragem, sorriso, pensamento solto...
O grito aquele que não se faz ouvir, que atropela as palavras, atrapalha, embaralha, peçonha...
O medo que assusta e em segredo se mortifica, que destrói o sonho, paralisia da vida...
Neste papel vai se riscando as diversas maneiras de palavrear, rabiscar vida e formar histórias, neste querer de letras soltas que se encontram em linhas ou em imenso branco...
Na ausência da palavra o silêncio, exagerar é perde-se, fiadas de tolices em pensamentos detidos e ser-se doentio...
Palavras, entonações, melodia que alegra ou entristece, na harmonia vem dos anjos, na angustia nem se ousa pronunciar.
Nesta busca incansável da palavra que se encaixa em situações delicadas ela sempre foge, nos emudece, achando sempre existir outra que se encaixaria melhor, entretanto nada importa quando na frente de cada uma enxerga-se a sinceridade a mais difícil de se manter presente...
Assim como a felicidade e outras tantas que vão se somando a vida palavra que nos define presente no Mundo.







Em 29 de dezembro próximo, a escritora lagunense Jacqueline Bulos Aisenman estará lançando o livro "Entre os Morros da Minha Infância".

O evento acontecerá no Clube Congresso Lagunense, às 20 horas, e a renda será totalmente destinada ao Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos.
 
Venha prestigiar este importante evento e não deixe de divulgá-lo aos seus contatos...





10 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Cultura e solidariedade, uma bela combinação.
Bjux

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Ir até aí, não dá. Mas dá para ler e divulgar. Parabéns, Renata.
Beijos!!!
Renata

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
VERONICA FUKUDA disse...

oi REnata,
obrigada pela visita, tb vou te seguir.
adorei a frase da Anne Geddes...
que tipo de artesanato vc fazia?
abs

. intemporal . disse...

.

. quando uma boa leitura se associa ir.remediavel.mente a uma nobre causa, então, podemos dizer, que já é natal .

.

. um beijo meu .

.

BRANCAMAR disse...

E que seja um êxito Renatinha para que o Hospital de Caridade Senhor Bom Jesus dos Passos possa ter tudo o que precisa.

Beijinhos
Branca

VERONICA FUKUDA disse...

Oi REnata,
tenta de novo me seguir, assim fico com acesso direto a vc!!!
bj gde
ps-to esperando nova postagem...

manuela baptista disse...

eu vou, Renata!

eu quero ir!

manda-me um barco a remos
uma jangada

e depois do livro

vamos beber uma caipirinha para animar

prometo pescar o bacalhau, pelo caminho!

combinado?

um beijo

manu

. intemporal . disse...

.

. querida renata,,, .

.

. venho por ora desejar.TE um santo e feliz natal extensível a toda a família e a todos os amigos que te sejam essência ao peito .

.

. grat.íssimo ainda pela constância da tua presença no #intemporal# que tanto me gratifica .

.

. um beijo sempre amigo .

.

. paulo .

.

Vinicius Pires disse...

"Assim como a felicidade e outras tantas que vão se somando a vida palavra que nos define presente no Mundo."

Sensacional como sempre!